Campeão mundial em 1970, Clodoaldo diz que Pelé “gostava da perfeição”

Aumente as Vendas pelo WhatsApp ainda HOJE!


O ex-jogador Clodoaldo Tavares Santana, campeão mundial pela seleção brasileira ao lado de Pelé em 1970, foi um dos antigos companheiros a marcar presença no velório do Rei do Futebol, que começou na manhã desta segunda-feira (2), no Estádio Urbano Caldeira, a Vila Belmiro, em Santos (SP). O ex-volante, de 73 anos, lamentou a morte do amigo, que ocorreu na última quarta-feira (29), mas agradeceu por ter tido a oportunidade de atuar ao lado dele, vestindo tanto a camisa do Brasil como a do Santos, por quase dez anos.

“A gente se despedir do nosso Rei Pelé é sofrido, mas tem a lembrança de tudo que ele deixou como legado. Sempre tive alegria de conviver, então só tenho a agradecer, por tudo que ele representou ao futebol do Brasil e do mundo”, disse Clodoaldo, que ainda recordou a convivência com o Rei do Futebol.

Clodoaldo era o titular mais jovem na Seleção de 70

Clodoaldo era o titular mais jovem da seleção brasileira, tricampeã mundial em 1970, no México – Divulgação CBF

“O Pelé gostava muito da perfeição e a cobrava dos companheiros. A maneira que eu tinha de corresponder era explicando que nós éramos humanos e ele um extraterrestre”, brincou.

Outros ex-companheiros de Pelé já marcaram presença no velório, como Negreiros (que subiu com Clodoaldo para o time profissional do Santos, em meados dos anos 60) e Nenê Belarmino. Parceiros ainda vivos do Rei do Futebol no chamado “ataque do século”, vestindo a camisa do Peixe, Pepe e Melgálvio não virão ao funeral. O primeiro, de 87 anos, está em Socorro (SP) e a família optou por preservá-lo do desgaste da viagem, inclusive emocional, conforme informado na rede social do ídolo santista. O segundo está com covid-19. Dorval e Coutinho faleceram antes do Atleta do Século.

O velório

O corpo de Pelé foi transportado do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, à Vila Belmiro durante a madrugada. O caixão está no centro do gramado do estádio. O velório é aberto. O acesso do público ocorre pelos portões 2 e 3 (Rua Dom Pedro), enquanto o de autoridades se dá pelos portões 10 e 15 (Rua Princesa Isabel).

Foram erguidas duas tendas no gramado. Uma delas, onde está o caixão de Pelé, é destinada a familiares, ídolos históricos do Santos e convidados. A outra é voltada a demais autoridades. O público em geral anda por um tablado, que fica à esquerda da primeira tenda.

Após o velório, que termina às 10h (horário de Brasília) de terça-feira (3), será realizado um cortejo pelas ruas de Santos, que passará pela Avenida Coronel Joaquim Montenegro (conhecida como Canal 6), onde vive a mãe de Pelé, Celeste Arantes, que completou 100 anos em 20 de novembro. De lá, o corpo será levado à Memorial Necrópole Ecumênica, para sepultamento em cerimônia restrita aos familiares.

Fonte:

Aumente as Vendas pelo WhatsApp ainda HOJE!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *